segunda-feira, 11 de junho de 2018

Sessão é marcada por polêmicas e arquivamento de representação contra o presidente da Casa



Os vereadores se reuniram na Casa Gadibete neste sábado dia 09/06 para realizar os últimos trabalhos antes do recesso do mês de junho, o Presidente da câmara João Batista deu início como faz de costume em seguida o vereador Zezinho Simoa usou a tribuna para enfatizar que o presidente João Batista Sampaio mesmo que de forma inocente havia cometido um erro ao assinar documentos que se encontravam na Casa todos os balancetes completos. O vereador lembrou ainda de um fato ocorrido alguns anos atrás, onde ele havia cometido um crime também de forma inocente. Ao fim de sua fala Zezinho disse que iria renunciar à vice-presidência da mesa diretora, estaria fazendo isso para que ficasse claro que não tem nenhum interesse em chegar à presidência da Casa prejudicando João Batista (presidente da Casa).   

O vereador Weslley Carvalho no uso da tribuna disse que a casa de vereadores tenta da mesma forma que o chefe do poder executivo municipal uma verdadeira ditadura, ainda chamou essa atitude de pobre, medíocre e mesquinha e que não continue essa atitude na casa,  levantou um fato ao Vereador Mano Laurindo de que o mesmo não teria sido colocado se quer um requerimento apresentado por ele durante o período que é vereador, disse que os alunos da Conceição de Jú estava a quase 30 dias sem transporte para as escolas da zona urbana tanto da do município como a do estado, disse ainda que existe relatos de mães de família que foi por falta de pagamentos, falou que vários projetos tramitava na casa de vereadores e que tinha um projeto de um crédito suplementar de 130 mil reais para construção de um muro de uma creche e disse que não tinha como votar em uma projeto desse, onde em novembro do ano passado foi solicitado uma murada da creche no valor de 74 mil reais, e onde 50% já se encontrava construída, e porque tinha vindo pedir 6 meses depois, parabenizou o prefeito pela atitude de fazer a murada pois tem uma filha 4 anos que estuda na creche e reconhece a necessidade da construção da murada, o vereador falou que o município de Olho D’água está como “caranguejo” cada vez mais andando para trás, ou seja cada dia retroagindo.

O vereador Mano no uso da tribuna foi responder o vereador Weslley Carvalho onde o mesmo falou que o vereador não tinha na casa nem se quer um requerimento,  para provar que o vereador Weslley Carvalho teria mentido Mano lembrou da votação de seus requerimentos, um da Festa da Mãe Rainha que seria custeado pela prefeitura municipal e que o Vereador Weslley foi um deles que votou no requerimento, citou outro requerimento de sua autoria que pedia a construção em uns terrenos onde o requerimento pedia para que deixasse um espaço público para construção, onde também  o vereador Weslley teria também votado, provando a todos presentes que o vereador Weslley faltou com a verdade, falou ainda que o Vereador Weslley Carvalho mentiu em sua fala quando falou que o projeto do credito suplementar no valor de 130 mil reais era apenas para construção da murada da creche, pois ele o vereador recebeu uma cópia do projeto onde fala que o credito suplementar é para o termino da creche e a recuperação de uma escola do conjunto Antônio Fausto. O vereador Mano pediu ao vereador Weslley para ele esquecer seu chefe político e trabalhar em prol do município e do povo, disse ainda em sua fala que Olho D’água conhece a personalidade do vereador Mano Laurindo, do Prefeito Genoilton e do vereador Weslley Carvalho, falou que para o vereador Weslley Carvalho pudesse cortar o cabelo fiado teria que ir a Emas ou Piancó porque em Olho D’água ninguém confiava nele, depois Mano se dirigiu ao vereador Jose Simoa de Lima e disse que teria ouvido bem o pronunciamento do vereador na tribuna e que o vereador tinha andando ao redor do círculo mais com vontade de entrar no círculo, porque o vereador disse que não tinha nenhuma vontade de estar na mesa da presidência da câmara e estava renunciando seu mandato de vice presidente, mas o que realmente estava acontecendo era que o grupo político do vereador Zezinho Simoa estava preparando uma “Casinha de Caboco” para o vereador, porque se chegasse a concluir essa maldade com o presidente da casa confirmaria o que ele vem falando a um tempo, onde teria o grupo da maldade e que o vereador estaria preocupado era com a presidência da câmara, ele também pediu aos presentes na sessão para observar quem vai para tribuna olhando para seu umbigo e quem vem olhando para o município, e disse que o grupo da maldade não quer aprovar os projetos para depois estarem nas calçadas dizendo que a gestão não faz nada, porque se o prefeito depende dos vereadores para ajudar o município e tem vereadores que não querem ajudar o município como o município vai crescer? Disse que tudo que falou é a pura verdade e que os vereadores da oposição se escondem do povo, porque nem se quer um transporte para dar assistência aos seus eleitores possuem, reafirmou seu compromisso com a população do município e falou que diferente de outros tempos essa gestão veio com uma proposta diferente porque esta gestão tem respeito com quem votou e quem não votou tratando todos da mesma forma.

O vereador Chico Furtado usou a tribuna e lembrou que está na Casa como representante do povo há 20 anos sem exigir de chefe político cargos para lhe se beneficiar, pois faz política com honestidade e trabalho, o vereador disse ainda que nunca quis prejudicar o Presidente João Batista e que nunca usou de má fé para alcançar seus objetivos.

O representante e técnico da EMATER Inaldo Ferreira fez o uso da tribuna para esclarecer sobre a perda do benefício Garantia Safra no município. O técnico explicou que os cadastros do Seguro Safra foram feitos corretamente, porém o que fez Olho D`água perder o benefício foi devido o secretário de agricultura do município Mário Leite não ter comparecido à reunião para apresentação dos laudos de vistorias e por não ter sido feito o cadastro que estava disponível até o dia 30 de maio do corrente ano. O representante do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável José Neto disse ter feito o cadastro do Conselho, no entanto não o enviaram a senha de acesso às informações do benefício Garantia Safra. Neto explicou que não havia sido convocado para a reunião citada pelo o técnico da EMATER e nem para capacitação referente ao Seguro Safra,  pois no período da homologação da Ata ele era Secretário do Conselho e deveria ter sido convocado para a reunião que era parte do processo de homologação da Ata, disse ainda que também não assinou a Ata devido não concordar como teria sido feita e além do mais havia denúncias na Câmara de irregularidades no cadastramento do Seguro Safra.

Ao final da sessão foi colocada em votação a representação contra o presidente da Câmara João Batista Sampaio. O vereador Chico Furtado  foi o primeiro a votar e chamou à atenção do Presidente da Casa dizendo que o momento era de muito surpresa, mas que conhece o vereador por ser uma pessoa íntegra, sabe do seu caráter, que tem profundo respeito, mas que João Batista errou mesmo que de forma inocente, Chico Furtado pediu mais compromisso por parte do presidente com os demais vereadores e que a partir daquele momento iria cobrar com mais frequência e que iria exigir de João Batista respostas, o vereador fez um discurso causando muito suspense, pois segundo ele estaria votando com o coração e que estava sendo guiado por Deus, mas iria receber muitas críticas. Ao fim da votação a representação foi arquivada sendo reprovada por 5 votos contra e 3 três a favor. Votaram contra os vereadores Chico Furtado, Zezinho, Manoel Laurindo, Ruguismar (Dêda) e o vereador Vandesson Barbosa (Vandilson), votaram a favor os vereadores Weslley Carvalho, Junior Carvalho e João de Zé de Chico. O presidente João Batista agradeceu aos vereadores que votaram contra a representação, em seguida declarou recesso na Casa e encerrou a sessão.



OlhoD`águaNotíciasPB
Brasil
Paraíba
Deixe seu Comentário

0 comentários: