quarta-feira, 24 de abril de 2019

Operação nacional prende 25 suspeitos em 7 municípios da PB



Vinte e cinco pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira (24) durante operação da Polícia Civil que ocorre em todo o Brasil contra criminosos. Segundo a polícia, as prisões ocorreram em Patos (3), Princesa Isabel (2), Catolé do Rocha (3), Itaporanga (6), João Pessoa (4), Alhandra (1) e Monteiro (3).

Segundo o delegado Marcos Vasconcelos, da Delegacia de Defraudações e Falsificações da Capital, são investigados 19 alvos, sendo 6 com mandados de prisão expedidos pela Justiça.

O delegado-geral da Polícia Civil da Paraíba, Isaías Gualberto, disse que as equipes continuam trabalhando e outras prisões deverão ocorrer ao longo do dia.

A Polícia Civil da Paraíba participa durante toda esta quarta-feira (24) da Operação PC 27, deflagrada em todos os estados e no Distrito Federal com o objetivo de cumprir mandados de prisão, busca e apreensão pelos mais diversos tipos de crime.

Em João Pessoa, a ação foi deflagrada através da Operação “e-golpe” pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital, que desarticulou uma quadrilha de golpistas que realiza vendas fraudulentas de carros por um site de compras na internet.

Presos

Conforme a polícia, foram presos na Operação e-golpe Lucas Francisco dos Ramos Gonzaga, Josevaldo Gomes da Silva Júnior (Juninho), Benigno Pontes de Araújo e Ariela Rangel Marques, esposa de Leandro Minervino, que está detido no presídio do Serrotão, em Campina Grande, e faz parte da ramificação da quadrilha naquela cidade.

Conforme a polícia, os golpistas utilizavam um site de compra e venda de veículos e copiava os anúncios verdadeiros, criando um outro com as mesmas característas, porém com o preço do veículo bem mais barato. Os interessados entravam em contato sem saber que se tratava de golpistas e realizavam a negociação, mas quando ligavam para o verdadeiro proprietário percebiam que tinham caído em um golpe.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o chefe da quadrilha em João Pessoa é conhecido por Júlio César, que tem apoio de outros fraudadores de nomes Lucas Franicsco, Benigno Araújo, Josevaldo Junior (Juninho) e um outro companheiro conhecido como Sadan. Esses seriam responsáveis pelo recrutamento de pessoas para emprestarem contas bancarias, onde o dinheiro da venda dos veículos era depositado.

“Eles alegavam que não tinham conta e pediam para uma pessoa emprestar os dados bancários. Com isso tentavam fugir da investigação porque seus dados pessoais não apareciam na conta que recebia os depósitos”, explicou o delegado Marcos Vasconcelos.

Em Monteiro foi dado cumprimento de mandado de prisão em desfavor de José Ailton Souza Araújo. Ele estava foragido há um ano da comarca de Campina Grande e foi condenado há 10 anos de prisão em regime fechado pela prática de estupro.

Brasil
Paraíba
Deixe seu Comentário

0 comentários: